domingo, 20 de setembro de 2020

{ da chuva }



Cai a Chuva no Portal

Cai a chuva no portal, está caindo
Entre nós e o mundo, essa cortina
Não a corras, não a rasgues, está caindo
Fina chuva no portal da nossa vida.

Gotas caem separando-nos do mundo
Para vivermos em paz a nossa vida.
 Cai a chuva no portal, está caindo
 Entre nós e o mundo, essa toalha

 Ela nos cobre, não a rasgues, está caindo
 Chuva fina no portal da nossa casa.
 Por um dia todos longe e nós dormindo
 Lado a lado, como páginas dum livro.

 Lídia Jorge, (Inédito)

foto minha

segunda-feira, 7 de setembro de 2020

{ da despedida }


"Meu querido stress,
Foi bom enquanto durou. Mas chegou a hora.
Agradeço-te por tudo o que me ensinaste.Demorei, mas contigo aprendi a dar valor ao que realmente importa. Contigo aprendi a escutar o meu corpo, ainda que para tal, talvez fosse escusado gritares tanto. Mas eu percebo. Eu andava surdo!Agradeço por todas as noites mal dormidas, por todas as enxaquecas, por todas as vezes que reagi e explodi. Agradeço pela falta de concentração e de memória. Agradeço todas as dores físicas que me trouxeste e todas as idas ao médico. Agradeço por cada comprimido que tomei na tentativa, em vão, de te silenciar. Agradeço por todas as sandes que comi nos 5 minutos, da suposta hora de um almoço e por todo o jejum que fiz, por culpa da falta de memória.
Obrigada! Mas já chega. Vamos ter de terminar.
Não é por ti, não és tu! É por mim. Sou eu! Eu é que já não quero mais, já não te amo mais, já não preciso mais de ti. Eu é que me permito de agora em diante, desligar-me de ti. Permito-me, por momentos, nem sequer pensar em ti.E como sei que estas separações são difíceis e que nós, seres humanos, somos bichos de hábitos, sei que iremos voltar a cruzar-nos. E se bem que te conheço, irás perseguir-me por algum tempo. Irás tentar novamente. E quando tal acontecer, talvez eu permita, por apenas alguns momentos que te aproximes novamente. Mas apenas e somente por momentos. Até porque em pequenas doses podes até ser estimulante e não tóxico. Mas não te vou permitir ficares. Não te vou permitir controlares-me. Não vou permitir que sejas o substituto do meu real alimento.Foi bom enquanto durou. Agora reclamo a minha lucidez e paz interior. Preciso dela. Muito mais do que de ti.PS - e para que não me odeies, prefiro que saibas por mim e não pelos outros. Portanto, queria ainda dizer-te... Que vou voltar para a minha ex! Sim. Vou. Lembras-te dela? A qualidade de vida! Essa mesmo! Nem sei como me aceita de volta pois nunca compreendeu como a troquei, por ti. Mas aceita-me e eu vou voltar. E sim, é verdade. Ela não tem um grande cargo, nem uma casa na praia. Mas tem tempo. Tem saúde. Cozinha bem. E faz-me sorrir. Espero que um dia, me compreendas."

Ana Sofia Rodrigues©

domingo, 23 de agosto de 2020

{ tempos estranhos }




que este céu de veludo
nos abrace
que este mar infinito
nos cure
que este sol poderoso
nos fortaleça
que esta terra-mãe 
nos abençoe

 que sopre vento forte e leve embora
memórias e cansaços destes tempos estranhos

que toda a natureza
viva em nós
hoje e sempre !




FM