segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

{ da cumplicidade }



 saudade
 
da infância agitada
da vida partilhada
de contigo brincar
no teu ombro chorar
de jogar às escondidas
das palavras proibidas
dos segredos guardados
 dos afectos trocados
  
 saudade
 do que nunca tive

da cumplicidade
de sentir tua mão
de ter um irmão
.

" há sentires que só um irmão compreende. dores que só com ele partilhamos. conselhos que só eles sabem dar . um filho único percorre sempre um caminho solitário. "

crédito da imagem

27 comentários:

  1. Sim ! Grande verdade ! "Dois" é sempre melhor que "um" e não só neste caso ! ... o que não quer dizer que, por lógica, 3 seja melhor que 2 !
    Infelizmente os tempos são muito diferentes e há muito a ponderar, mas, sinceramente, creio que essa "Saudade" que TÃO BEM descreves é uma dura realidade !
    Brian Crain, assenta como uma luva !

    Beijo no coração ! :)

    ResponderEliminar
  2. Uma grande verdade. Nós somos três e sempre desde meninos fomos muito unidos.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  3. Que momento querida amiga ,saudades dos momentos que não se teve a dois ,mas que tanto poderiam fazer a diferença em certos e determinados momentos da vida ,mas a verdade querida amiga às vezes mesmo a cumplicidade também acaba por desaparecer com o passar do tempo ,uns partem ,outros simplesmente seguem seu rumo ,e toda a cumplicidade de outros tempos se devaneia no presente e se transforma na melancolia da saudade de um tempo onde tudo era quase perfeito ,muitos beijinhos no coração.

    ResponderEliminar
  4. Dividir emoções e cumplicidades ... é bem gostoso!
    Gosto muito ... bj amigo

    ResponderEliminar
  5. Verdade, querida Fernanda! A cumplicidade está bem expressa no riso e na expressão, feliz, dessas duas crianças.
    Ser filho único rouba à criança essa possibilidade de compartilhar alegrias, mas ter uma irmã muito mais velha, também.
    Foi o que me aconteceu.
    Estou a adorar estes teus sentires.

    Um beijinho com votos de uma excelente semana.

    ResponderEliminar
  6. Quanta verdade!texto belíssimo com uma imagem sublime!

    Beijos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. É bom não ter saudades assim

    hoje, mais uma vez a família reuniu
    e estiveram as três irmãs

    vejamos se se aprestam a pares de netos
    caso não aconteça
    ah,
    talvez essa tal saudade apareça
    (nem sempre um filho único é o resultado de uma opção)

    ResponderEliminar
  8. Eu acho que sim. Assim, para mim, é muito melhor.
    Tenho um irmão e uma irmã...

    Saudações poéticas!

    ResponderEliminar
  9. Tenho uma irmã.
    Mas pouco posso partilhar com ela.
    Deficiente profunda precisa de apoio, de atenção.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
  10. Uma verdade incontornável. Apesar de ter irmãos estão longe, felizmente tenho um filho e é com ele que tenho a maior cumplicidade do mundo.

    Beijinhos Fernanda

    ResponderEliminar
  11. Tenho lembranças maravilhosas da infância compartilhada com os irmãos.
    São os meus grandes amigos, os amo muito.
    Abraço,
    Sônia

    ResponderEliminar
  12. Verdade!
    Adorava ter irmãos!
    Beijinho, Fê!

    ResponderEliminar
  13. A cumplicidade é uma chama que arde numa candeia e que se avista ao longe, mesmo quando a distância é grande.

    Um beijinho,querida Fê :)

    ResponderEliminar
  14. Tão certo e como a cumplicidade é importante nas nossas vidas! Adorei! bjs, chica

    ResponderEliminar
  15. Já estou aqui, um bocadinho atrasada, mas já seguidora, ainda bem que vais continuar pela blogosfera :) agora copiar o link daqui para a minha lista para depois voltar com mais tempo
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar
  16. Concordo contigo...há cargas pesadas demais...

    Beijinho

    ResponderEliminar
  17. Também não tive irmãos... mas confesso que nunca me fez diferença não ter, Fê... isto porque os irmãos na minha família, nunca se deram mesmo nada bem... pelo que acho que alguém lá do alto... me terá querido poupar de martírio idêntico, se perpetuar durante a minha existência... o que não teve de ser... também o terá sido, por alguma boa razão...
    Já seguindo este seu novo espaço, bem intimista, pelo que vejo... acho que vou adorar!!! :-)
    Beijinhos! Continuação de uma boa semana... e muito bom tê-la de volta, Fê!
    Ana

    ResponderEliminar
  18. Uma cumplicidade que infelizmente nunca conheci, pois não tive irmãos.
    Adorei o seu novo cantinho, já aqui estou para continuar a divagar consigo.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  19. Olá xará.
    Moça como eu amei teu cantinho e o poema? É lindo!
    Ter um irmão é maravilhoso.
    Fui adotada aos 14 anos
    e ganhei um irmãozinho junto
    que eu amo de paixão.
    É muito bom ter um irmão.

    Beijinho✿
    Ficando também ✿

    ResponderEliminar
  20. Como compreendo este poema, lindo!

    ResponderEliminar
  21. Que lindo poema, Fê!! Não gostaria de ser filha única, tenho um irmão.
    Acho que seria meio solitária na infância e adolescência. Brincávamos muito. Hoje mora noutra cidade mas nos falamos diariamente pelo pc ou celular.
    Beijinho, querida amiga!

    ResponderEliminar
  22. Gostei muito do 'post'.
    Lamento ter uma filha única...
    Malhas que o destino tece...
    Beijinhos, querida amiga.
    ~~~~

    ResponderEliminar
  23. Um belo espaço, Fernanda!
    Lindo e sentido poema!
    Não sei como seria uma vida sem irmãos. Não desejaria nunca ser filha única.
    Graças a Deus tenho quatro irmãos. É claro que a afinidade entre os irmãos difere um pouco, mas sou grata por todos que tenho. Somos um por todos e todos por um. Tenho lembranças lindas da infância com eles compartilhada. Claro que tenho maior afinidade com uma das minhas irmãs, grande companheira, mas todos têm a sua representatividade em minha vida.

    Feliz em revê-la.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  24. É aqui estou para um beijo.
    Devagar, com vagar, virei ver, ler, vogar nas ondas, a batida regular - sem taquicardia - procurar os segredos silentes ou as pancadas do martelo. Daquele que mora (aqui) bem no meio do peito (de asas recolhidas).

    ResponderEliminar
  25. "Saudades do que nunca tive" ... "de ter um irmão"!
    Não é bonito isto? É. Eu sei-o porque o sinto.

    Bj.

    ResponderEliminar
  26. Mesmo com diferença de idade dos meus irmãos , quase pais, não me imagino sem eles, sei que estão sempre ali, embora a um deles infelizmente já não possa dar a mão.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

o melhor lugar para tocar alguém será sempre o coração.

obrigada por estarem desse lado.