segunda-feira, 24 de abril de 2017

{ do 25 de abril }



naquele tempo éramos tantos
queríamos tanto
 homens, mulheres, trabalhadores, intelectuais, soldados
 uniram-se numa causa num ideal
jamais a igualdade foi defendida tão doce e fortemente
tantas vozes em uníssono:
 " O povo unido jamais será vencido! "
 quarenta e três anos passaram
somos tantos
queremos tanto
mas deixámos de acreditar
em causas, em flores vermelhas e em mãos tocando mãos
.

FM

imagem retirada do Google






Canção emblemática do povo chileno na sua luta decorrente do 11 de Setembro de 1973, é aqui interpretada em português por Luís Cília com o acompanhamento dos próprios Quilapayun (autores da canção chilena) os quais no seu exílio em França colaboraram com o Luís Cília nesta gravação de 1974 e que tanto eco teve na sociedade portuguesa pós 25 de Abril de 1974.

De pé, cantar, que vamos triunfar
Avançam já bandeiras de unidade
Já vão crescendo brados de vitória
E tu verás teu canto e bandeira, florescer
A luz de um rubro amanhecer,
Milhões de braços fazendo a nova história.

De pé, marchar, que o povo vai triunfar
Agora já ninguém nos vencerá
Nada pode quebrar nossa vontade
E num clamor mil vozes de combate nascerão
Dirão, canção de liberdade;
Será melhor a vida que virá.

E agora, o povo ergue-se e luta
Com voz de gigante, gritando avante

O povo unido jamais será vencido

O povo está forjando a unidade
De norte a sul, na mina e no trigal
Somos do campo, da aldeia e da cidade
Lutamos unidos pelo nosso ideal, sulcando
Rios de luz, paz e fraternidade
Aurora rubra serás realidade

De pé, cantar, que o povo vai triunfar
Milhões de punhos impõem a verdade
De aço são, ardente batalhão
E as suas mãos levando a justiça e a razão
Mulher, com fogo e com valor
Estás aqui junto ao trabalhador.

E agora, o povo ergue-se e luta
Com voz de gigante, gritando avante

O povo unido jamais será vencido

35 comentários:

  1. Foi lindo, muito lindo, Fernanda !!! Com que entusiasmo cantei também o "Grândola Vila Morena" !!! ... Vivi em plenitude o 25 de Abril, já casado e com filhos e com idade para fazer uma boa leitura das coisas, mas cedo concluí que muita coisa não estava certa e que essa Democracia não era bem aquilo por que esperávamos.
    Bastou um ano para que ao Mário Soares fosse barrada a entrada no Estádio 1º de Maio para comemoração do feriado e dos festejos do Dia do Trabalhador! ... Passou a alegadamente "Fascista" e contra revolucionário muito rapidamente ! :( ... O Otelo queria fazer uma matança dos "ricos" na Praça de Touros do Campo Pequeno. Famosa aquela conversa de Otelo com Olavo Palm, quando perguntado por este o que pretendiam fazer e ele responde : "Queremos acabar com os ricos", ao que Olav Palm ripostou : "Estranho, que aqui queremos é acabar com os pobres. O Copcon (de Otelo) queria até sobrepôr-se às forças militares democráticas do 25 de Abril (Conselho da Revolução) ; O PRP, Partido Revolucionário do proletariado , a FUP, Força de Unidade Popular e as Forças Populares 25 de Abril , aliadas a Otelo, pretendiam tomar o poder em nome do Povo e estabelecer um regime do proletariado pela força ; o PCP dominava os sindicados com a Intersindical, que pretendiam impor no sindicalismo! ... e assim se passaram cerca de 10 anos, atrasando muito uma verdadeira democracia ! :((
    Depois disso, já todos sabem (ou deveriam saber) o que foi acontecendo, com cada um a puxar a brasa para a sua sardinha com grandes interesses partidários e particulares instalados ! ... Uma verdadeira desilusão ! ... e é assim que após 43 anos continuamos a ser económica e financeiramente dos mais atrasados da Europa ! :( ... Sinceramente não encontro grandes motivos de festejo ! :(
    Deixei de acreditar em causas, em falsos discursos (enganosos), em políticos e em flores vermelhas !

    Acredito sim no Trabalho Honesto, na Formação, na Verdade, na Amizade e na Família !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Embora eu continue com um fraquinho pela Esquerda, pecadito da minha juventude, concordo em absoluto com o teu comentário, Rui. E que comentário.

      Também eu acredito no Trabalho Honesto, na Formação, na Verdade, na Amizade e na Família!

      Abraço-te com o coração alegre por partilhares dos meus valores.

      Eliminar
    2. Apesar dos pesares , valeu a pena , sem dúvida, o derrube da ditadura -

      Estou insatisfeita com muita coisa, mas prefiro isso à PIDE, à guerra colonial, ao analfabetismo, aos assassinatos a frio (como o de Catarina Eufémia) e aos massacres ( como os de Aljustrel) e às entregas de opositores políticos a FRanco

      Eliminar
    3. Claro que valeu a pena, São, só é pena que a alma dos políticos de todas as cores seja tão pequena.

      Eliminar
  2. Foi uma conquista tremenda!

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Foi do melhor que nos aconteceu! Mas atualmente o povo está tão desunido...

    Beijinhos vermelhos!

    ResponderEliminar
  4. Não poderemos retroceder!
    Belo post, minha amiga.
    Beijinho grande.

    ResponderEliminar
  5. Tão jovem que eu era... Tão parva que eu era.... Tão ignorante que eu fui...
    Prima...
    Viver numa ilha há quarenta e três anos atrás era tristeza, mas vivíamos sabendo que o mar estava a nossa volta e limitava os pensamentos
    Kis :=}

    ResponderEliminar
  6. A revolução não acabou. É urgente que continue...
    Um abraço e viva a Liberdade

    ResponderEliminar
  7. Não posso opinar, pois desconheço a história
    mas vou pesquisar.
    Todo cântico é de vitória, mas a realidade pode parecer
    outra. Depende de análise e de reflexões

    um abraço carinhoso

    ResponderEliminar
  8. Portugal vive em liberdade, em democracia, sem movimentos extremistas.
    Valeu e vale a pena.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Olá Fernanda,

    A Revolução dos Cravos foi um marco na história da democracia de Portugal e merece ser invocada e homenageada.
    A letra da canção é daquelas que inflamam os corações, principalmente num momento como o da dita Revolução.
    Infelizmente, posso dizer que suas palavras poéticas, ditas ao final, aplicam-se também aqui, no Brasil, pois também estamos nos deixando levar pela desesperança e pelo descrédito.

    Ótima semana!

    Beijo.

    ResponderEliminar
  10. 25 de Abril de 1974 um dia especial onde a Liberdade se ouviu nas ruas deste meu lindo país à beira mar ,mas neste dia especial olho também para o meu mundo e me questiono por quanto tempo iremos assistir a cada vez mais a povos oprimidos e ao culminar de governantes estadistas,absolutistas ,certamente faz-me pensar que a liberdade está cada vez mais refém de quem faz as leis para sua própria conveniência ,beijinhos no coração querida amiga .

    ResponderEliminar
  11. Claro que valeu​ a pena, Fernanda.

    INFELIZMENTE, a alma dos políticos portugueses é pequena e os cravos vermelhos precisam de muita água, senão murcham para sempre.

    Viva a liberdade e a paz no mundo.

    ResponderEliminar
  12. Uma linda homenagem a essa conquista Fê!
    Aqui no Brasil estamos precisando disso.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  13. Há uma luz que refulge, sulcando as trevas
    Há um gesto que renasce, fazendo o dia
    Há um canto que se ouve, quase em murmúrio
    Há um despontar de vozes, quase melodia.

    Um beijinho, Fê :)

    ResponderEliminar
  14. Olá, pelo portugal diferente, ABRIL SEMPRE!.
    AG

    ResponderEliminar
  15. Adorei a postagens..

    Beijos e um dia feliz

    ResponderEliminar
  16. Foi lindo.Nunca esquecerei esse dia.
    Pena que os cravos estão murchando e parece que muita gente esqueceu como se vivia antes do 25 de abril.Viva a Liberdade.
    Um abraço.

    Natália.

    ResponderEliminar
  17. Viva a Liberdade, sempreeee!

    Abraço fraterno, amiga

    ResponderEliminar
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  19. Cara Fê. Se houve por parte de quem fez (mandantes) o "25 de Abril", algum propósito sério, de que o "povo é quem mais ordena", a verdade é que há muito, para não dizer desde sempre, que esse propósito se desmoronou. Vendem-nos uma "falsa democracia" e acenam-nos com a "Liberdade", mas na verdade "o povo nada ordena". E, quem disser o contrário olhe para o nosso exemplo e compare como o "povo da Islândia" ordena. Hoje interessa a todos recordar o "25 de Abril". As coisas fazem-se de outra maneira. Sem opressão, mas oprimindo. Hoje recordar o "25 de Abril" ajuda a distrair o povo (afinal não vivemos em democracia e em liberdade), enquanto as negociatas se multiplicam. Outros tempos, outras formas de alcançar os mesmos desígnios. Um Abraço fraterno. E, desculpe se não comungo do seu sentir esta data.

    ResponderEliminar
  20. r: Como é bom ler isso! Muito obrigada *.*

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  21. Não vivi em pleno o 25 de Abril, devido à minha ignorância e uma certa inocência, própria da idade. Só dois anos mais tarde me envolvi seriamente neste movimento libertador e fui participante activa pela conquista da liberdade.

    Beijinhos Fernanda

    ResponderEliminar
  22. Peço-te desculpa por estar sempre a interferir nos comentários, Fernanda, mas o tema é mesmo muito brisante.

    ResponderEliminar
  23. Quando o grito de liberdade ecoa na multidão, quando o povo unido faz sua voz soar e se cravar nos corações, o mundo inteiro escuta esta voz... E os que ainda estão oprimidos, subjugados, ficam a ouvir a voz da esperança ecoar pelo espaço...
    A nossa história também registra momentos assim, minha amiga! É pena que o entusiasmo do povo se arrefeça no passar do tempo, quando os governos vão se apoderando da vontade, calando as vozes, deixando apenas o eco da ganância, dos desmandos, da corrupção, do desafeto ao povo, ecoar pelas vias da história...
    E com isto, tantos anos passados, ainda "somos tantos, queremos tanto, mas deixámos de acreditar em causas, em flores vermelhas e em mãos tocando mãos" e também em caras pintadas de verde e amarelo por aqui...
    Beijos, flores brancas, sorrisos e estrelas a enfeitar o teu olhar, hoje e SEMPRE!
    Meu carinho para ti, num beijo,
    Leninha

    ResponderEliminar
  24. Puxa!!!
    Deve ter sido belo d+.
    Deixar de acreditar é tão triste né?
    Acho que iria amar ter vivenciado também.
    O texto inteiro é fabuloso.
    Emoção... Emoção.

    Beijinho Fernanda

    ResponderEliminar
  25. Fernanda uma belíssima homenagem a um acontecimento que fez diferença em nossas vidas!
    A canção está fantástica!
    Bj amigo

    ResponderEliminar
  26. deixamos de acreditar no poder na uniao... e queremos ser um... um so umbigo

    http://phalto.blogspot.com.br/

    Beijo

    ResponderEliminar
  27. Prima

    Ainda assim, vale mais não acreditar e poder expressar em liberdade.
    Compreendo angustia do vazio que se instalou, depois daquela euforia, regressamos a uma clandestinidade de valores e projectos de vida.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  28. r: Muito, muito obrigada!
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  29. Valeu a conquista da liberdade... o fim da Pide e o fim da guerra do Ultramar... que ceifou a vida de tantos jovens na época...
    Só por isso... já valeu a pena... apesar de todos os desencantos, que depois se possam ter instalado...
    Uma belíssima forma de assinalar este dia tão significativo para os portugueses... em especial, para os das gerações anteriores ao 25 de Abril... que viveram outros tempos... de maiores condicionalismos... quando não havia muitas escolas... hospitais... estradas... em especial nas zonas do interior... onde por vezes uma sardinha, dava para 2 ou 3... não admira que nessa altura não houvesse deficit... :-D pois pouco havia... para tantos... depois com a liberdade... comprámos carros alemães... casas... coisas de marcas estrangeiras... fomos fazer férias para o estrangeiro... e o país... afundou... a desfrutar a liberdade... também com a ajuda de alguns políticos e banqueiros...
    Beijinhos, Fê! Bom fim de semana, e um óptimo feriado!
    Ana

    ResponderEliminar
  30. A descrença instalou-se, mas...Abril (liberdade) sempre!
    beijinho

    ResponderEliminar
  31. Venho atrasado. Ainda assim, VIVA!!!

    ResponderEliminar
  32. Venho atrasado. Ainda assim, VIVA!!!

    ResponderEliminar

o melhor lugar para tocar alguém será sempre o coração.

obrigada por estarem desse lado.