{ da poesia - Pedro Luso de Carvalho }


se dependesse de nós
 os nossos filhos
só ouviriam o som do vento
 a cor da esperança
.
 .
COFRES E LADRÕES 

 Feche bem essa porta, meu filho,
 há muitos ladrões lá fora.
 Feche bem essa porta, meu filho, 
 se entrarem nada sobrará
 do que temos.
 (Ratos vêm roer nossos pés). 

 Sabe onde se escondem os ladrões 
 dos nossos cofres, meu filho? 
 Escondem-se em palácios forrados,
 tapetes dourados, tecidos em ouro
 e prata, embriagados pelo poder.

Mas logo tudo passará, meu filho, 
essas bocas ilustres, dos ladrões 
 de fala fácil, enganosa fala,
 não mais terão o que dizer. 

 Ouve o vento bater na janela, 
meu filho, ouve o suave vento 
 de harpa tangida, nosso alento, 
 único discurso para ouvirmos. 



 este poema do amigo Pedro Luso do Blog Veredas tocou-me profundamente,
 pois estes ladrões, não roubam só o nosso dinheiro, roubam aos nossos filhos,
o futuro
.

FM


Comentários

  1. É um belíssimo poema que já tinha lido no blog do Pedro.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Adorei também esse poema do Pedro Luso e foi bom trazê-lo aqui! abração aos dois,chica

    ResponderEliminar
  3. Há poemas
    que merecem ser lidos
    e ventos assim
    que merecem ser ouvidos

    ResponderEliminar
  4. É bem verdade Fernanda e a sua escolha poética é bem interessante! Bj

    ResponderEliminar
  5. Muito bonito. E tão verdadeiro!

    ResponderEliminar
  6. Sem dúvida, é a realidade que enfrentamos!
    E o problema é que podemos fechar a porta, mas a vida também acontece lá fora e não conseguimos evitar que nos levem o futuro pelo qual tanto lutamos e não conseguimos alcançar.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Sou aquilo que normalmente se designa por pai-galinha.
    Por muito que saiba que não pode ser assim é mais forte que eu.
    A melhor coisa que aconteceu na minha vida foi o nascimento das minhas filhas e esta aventura que está a ser vê-las crescer.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Infelizmente é a realidade querida amiga,todos sofrem de uma saudade obrigada por causa de uma classe que decepa a esperança de quem quer sonhar e ser feliz ao pé de quem tanto amam ,maravihosa terça-feira beijinhos muitas felicidades querida amiga

    ResponderEliminar
  9. Poema tocante. Amei. Obrigada pela partilha.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Fê,eu estive no blog do Pedro e deixei o meu comentário.
    O nosso amado Brasil está passando por uma fase que não sabemos a onde irá chegar,com tantos corruptos e ladrões.
    Amei ler novamente.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  11. Gostei muito desta postagem, feita com tanto capricho, como tu sempre faz, a começar pela bela foto, tão apropriada para este meu poema. Obrigado, minha amiga.
    Também agradeço a todas as amigas e amigos pelos seus comentários, que aqui vieram para te visitar, como sempre fazem.
    Um abraço, Fernanda Maria.

    ResponderEliminar
  12. Um excelente poema, que nos alerta para uma realidade cada vez mais frequente!

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  13. Olá, Fernanda, gostei muito de ver esse poema do Pedro aqui em teu belo blog. Realmente emociona por tudo que estamos vivendo no Brasil. Por tudo o que estamos sentindo. A sensação que temos é que alguma coisa deverá mudar, mas a longo prazo. Não é para nossa geração. E um diálogo desses com um filho... pesa mais!
    Beijo, querida amiga.

    ResponderEliminar
  14. Olá, querida Fê!
    Uma pena que roubem sonhos e esperanças...
    Mas vamos confiar sempre em mudanças...
    Filhos e netos merecem...
    Bjm fraternal

    ResponderEliminar
  15. Já tinha lido no Veredas. Mas ler aqui na casa da prima sabe mais.
    Kis :=}

    ResponderEliminar
  16. Boa noite Fernanda
    Que poema mas belo de Pedro Luso e infelizmente pura verdade. Uma feliz quarta-feira. Beijos.

    ResponderEliminar
  17. OI FERNANDA!
    PALAVRAS SÁBIAS DO PEDRO LUSO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  18. que poemaaaa lindooo!!!

    http://phalto.blogspot.com.br/

    Beijo

    ResponderEliminar
  19. Amiga Fernanda
    Embora já tivesse lido o poema no blog do Pedro, gostei muito de o reler.
    É, sem dúvida, um poema de esperança, já que acredita que " essas bocas ilustres, dos ladrões
    de fala fácil, enganosa fala,
    não mais terão o que dizer."
    Que assim seja!

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
  20. Olá, Fernanda. Que bom trazer aqui este poema do Pedro. Tão actual e tão verdadeiro.
    Bj.

    ResponderEliminar
  21. Um poema lindo que me tocou bastante.
    Os maiores ladrões não são os que nos tiram bens materiais e sim o que mais amamos e que habitam no nosso coração.

    Beijinhos Fernanda

    ResponderEliminar
  22. Poxa que legal ver esta poesia do Pedro por aqui, um grande escritor no seu tempo.
    Conheço a poesia e sua sensibilidade a trouxe Fê.
    Gostei dentro do que vivemos e sofremos por aqui amiga.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  23. A falta de valores... é o que tem vindo a apodrecer o nosso mundo... em todas as áreas...
    A corrupção só se instala no íntimo de quem não tem valores, nem respeito por outros...
    Ensinar valores aos nossos filhos é tudo o que nos resta, para que um dia, eles tenham ferramentas para fazer deste mundo, um lugar melhor... fazendo a diferença... e não mais do mesmo... para contrariar o sistema instalado...
    Adorei reler o poema do Pedro, que apreciei imenso! Um poema, que diz mesmo tudo, sobre o estado actual do mundo... e as suas palavras, Fê, não o poderiam complementar melhor, com a sua preocupação de mãe... perante o estado actual das coisas... para qualquer lado que nos viremos!...
    Beijinhos!
    Ana

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

o melhor lugar para tocar alguém será sempre o coração.

obrigada por estarem desse lado.